Cortisol: o principal tipo de glicocorticóide

Vimos que, em nosso organismo, existe uma classe de hormônios classificados como esteróides, pois eles derivam do colesterol. Dentre esses hormônios, há os glicocorticóides. Eles recebem esse nome devido a influência que exercem sobre  a glicose.
Na região do córtex das glândulas supra-renais são produzidos os hormônios esteróides conhecidos como corticosteróides. Há basicamente dois tipos de corticosteróides em nosso organismo: os glicocorticóides e os mineralocorticóides.
Portanto, os glicocorticóides são um tipo de corticosteróides.

Agora que entendemos o que são glicocorticóides, podemos especificar os tipos desse hormônio. Existem duas classes de glicocorticóides: os naturais e os sintéticos. Dentre os naturais, os principais são o cortisol e a cortisona. Nossa intenção é focar a atenção somente no cortisol, sem mencionar os outros tipos, pois o cortisol é o principal tipo de glicocorticóide.
o cortisol possui inumeras funções em nosso organismo e a forma sintética do cortisol, a hidrocortisona, é comumente utilizada como fármaco.

mecanismo de ação
O cortisol, por ter sua base de produção lipídica, é insolúvel em água. Por isso, grande parte dele é transportado pelo sangue por meio de proteínas transportadoras, como as transcortinas e a albumina. Uma pequena porção desse hormônio se encontra livre no citoplasma. È essa porção livre que está disponível para influênciar a fisiologia celular. Devido à natureza hidrofóbica, o cortisol livre atravessa passivamente a menbrana plasmática das células, passando do meio extracelular para o meio intracelular.

Quando o cortisol entra na célula, ele é captado por receptores intracelulares e eles então se ligam. Posteriormente, o complexo receptor e cortisol, ligados, poderá seguir dois caminhos diferentes:

  1. Regiões promotoras do DNA:

Nesse caso, o complexo receptor-cortisol irá entrar no núcleo celular e irá se ligar à regiões promotoras específicas, determinando uma expressão gênica determinada. As proteínas produzidas por essa expressão gênica irão atuar em diferentes mecanismos celulares, influênciando portanto a fisiologia das células. Esse mecanismo é chamado de “ativação gênica direta” ou transativação: O receptor é intracelular e atua, quando ativado, diretamente sobre o DNA, não necessitando de um intermediário. A ativação gênica, no caso de hormônios hidrossolúveis é indireta, pois os receptores para esses hormônios são transmembrana. Portanto, nesse caso, é necessario um intermediário intracelular que irá atuar sobre o DNA, sendo por isso uma ativação indireta.

2.Fatores de transcrição:

Nesse caso, o complexo receptor-cortisol irá atuar desativando certas proteínas que ativam a transcrição. Esse processo é denominado transrepressão.

Dessa forma podemos concluir que o cortisol possui bastante importância no funcionamento das células, ativando ou inativando eventos particulares. Agora que adquirimos uma idéia geral acerca do cortisol, iremos abordar nas próximas postagens quais são esses eventos específicos desencadeados diretamente por esse hormônio.

Formas de representação química do cortisol

até a próxima!
referências bibliográficas:
http://portaldoprofessor.mec.gov.br/storage/recursos/10453/cortisol_figado_musculo.swf
http://www.saudecomciencia.com/2010/08/cortisol-efeitos-no-organismo.html
http://www.moreirajr.com.br/revistas.asp?fase=r003&id_materia=3369

Por: Milena Adolfo Chaves

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s